Eliud Kipchoge segue fazendo história nas maratonas

Eliud Kipchoge vence a Maratona de Tóquio pela primeira vez, com direito a recorde na prova. (Divulgação)
Eliud Kipchoge vence a Maratona de Tóquio pela primeira vez, com direito a recorde na prova. (Divulgação)

Eliud Kipchoge continua absoluto na maratona. O queniano não tomou conhecimento dos adversários e venceu, pela primeira vez, a Maratona de Tóquio, neste sábado (manhã de domingo no Japão), com direito a recorde na prova, com o tempo de 2h02m40s. Cerca de 20 mil corredores participaram da maratona na capital japonesa.

Aos 37 anos, Kipchoge correu a terceira maratona mais rápida de sua carreira, e a quarta mais rápida de todos os tempos. Sua melhor marca é de 2h01m39s, atual recorde mundial, obtido na maratona de Berlim de 2018. Seu segundo melhor tempo foi em 2019, na Maratona de Londres, com 2h02m37s. O pace médio na prova japonesa foi de 2m55s/km, um segundo acima do pace médio do recorde, que foi de 2m54s/km.

Eliud Kipchoge é o segundo a vencer quatro provas da WWM

Das maratonas que formam a World Marathon Majors (WMM), série com as seis mais importantes provas da distância no mundo, Kipchoge tem vitórias em Londres (2015, 2016, 2018 e 2019), Berlim (2015, 2017 e 2018), Chicago (2014) e, agora, em Tóquio (2022). Para ter títulos em todas as etapas da WWM, falta ganhar em Boston e Nova York. Com a conquista na capital japonesa, Kipchoge se iguala ao compatriota Wilson Kipsang, até então o único corredor a vencer quatro provas diferentes da WMM desde o início da série em 2006.

A carreira de Eliud Kipchoge em maratonas começou em 2013. Prata e bronze nos 5.000m nas Olimpíadas de Pequim-2008 e Atenas-2004, respectivamente, Kipchoge decidiu trocar as pistas por provas longas após não conseguir se as classificar para os Jogos de Londres-2012. Nas eliminatórias quenianas ficou em sétimo lugar.

Sua estreia nos 42km aconteceu em 2013. Em abril, venceu a Maratona de Hamburgo, com 2h05m30s. Cinco meses depois, ele disputou a Maratona de Berlim, chegando em segundo lugar, atrás de Kipsang. O compatriota, além de vencer, estabeleceu um novo recorde mundial com 2h03m23s. O tempo de Kipchoge, de 2h04m05s, era, naquela época, o quinto melhor em maratonas.

Catorze vitórias em 16 maratonas disputadas

Desde a primeira prova em 2013 até a de Tóquio deste ano, Kipchoge disputou 16 maratonas. Venceu 14, incluindo nove na WMM e duas em maratonas olímpicas (Rio-2016 e Tóquio-2020).

Antes da corrida, Kipchoge escreveu “ST:RO:NG” em vez de números em seu cartão de previsão de tempo de chegada.

“Eu disse que queria correr forte no Japão e consegui, tanto que fiz o recorde de percurso. Estou muito feliz por ter vencido outra grande maratona”, disse o multicampeão, sem adiantar qual será sua próxima prova.

As parciais de Eliud Kipchoge na Maratona de Tóquio

DistânciaTempo acumuladoTempo a cada 5km
5km14m17s14m17s
10km28m37s0014m20s
15km43m16s0014m39s
20km57m53s0014m37s
Meia Maratona1h01m03s
25km1h12m26s14m33s
30km1h26m51s14m25s
35km1h41m30s14m39s
40km1h56m03s14m33s
Chegada2h02m40s*pace médio de 2m55s/km 

Brigid Kosgei vence com terceira melhor marca da história

O segundo colocado em Tóquio foi o também queniano Amos Kipruto, com 2h03m13s, sua melhor marca na distância. Ele disputou a liderança com Kipchoge até o Km 36, quando o compatriota se destacou para vencer. O etíope Tamirat Tola ficou em terceiro, com 2h04m14s.

A prova feminina foi igualmente impressionante. A recordista mundial Brigid Kosgei, de 28 anos, venceu a Maratona de Tóquio em 2h16m02s, o terceiro melhor tempo da história. A etíope Ashete Bekere ficou em segundo, com 2h17m58s, seguida pela compatriota Gebrselase, com 2h18m18s.

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1216 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."