Maratona de Londres: etíope Shura Kitata vence a prova

O etíope Shura Kitata vence a Maratona de Londres. (Divulgação)
O etíope Shura Kitata vence a Maratona de Londres. (Divulgação)

Uma final emocionante na Maratona de Londres. E não protagonizada por Eluid Kipchoge e Kenenisa Bekele, os dois melhores maratonistas da atualidade.

A vitória em um domingo frio e chuvoso foi do etíope Shura Kitata, de 24 anos, com o tempo de 2h05m41s. Um segundo depois, foi a vez do queniano Vicent Kipchumba cruzou a linha de chegada. Em terceiro ficou o também etíope Sisay Lemma, com 2h0535s.

A queniana Brigid Kosgei conquistou o bicampeonato da prova, com 2h18m58s. Em segundo ficou a americana Sara Hall, com 2h22m01s, e, em terceiro, a também queniana Ruth Chepngetich, com 2h22m05s.

“O tempo todo me mantive na retaguarda para atacar quando fosse necessário. Quando ataquei, tentei acelerar o ritmo mais do que antes. Eu fui para a última volta para vencer os outros”, afirmou o campeão, que recebeu US$ 30 mil pela vitória.

Kitata agradece a Kenisa pela vitória na Maratona de Londres

Kitata agradeceu ao compatriota Kenisa pela vitória. “Eu me preparei bem e estava muito concentrado hoje porque Kenenisa me ajudou muito”, disse Kitata, ex-recordista mundial júnior, que venceu, há três anos, as maratonas de Roma e Frankfurt e foi vice em Londres, em 2018. “Kenenisa tem treinado comigo e me aconselhado sobre a prova, por isso estou muito grato a ele. Eu treinei para um percurso circular e agora estou muito feliz por ter vencido adversários fortes.”

O aguardado duelo entre Kipchoge e Bekele não aconteceu porque, na sexta-feira, o etíope desistiu da prova ao revelar uma contusão na panturrilha.

Mais de 45 mil corredores participam da prova virtual

Sem o adversário, Kipchoge teria uma vida mais fácil para poder ser o primeiro tetracampeão da prova londrina. Mas, a partir do Km 25, quando comandava o pelotão dos líderes, ele sentiu, segundo o site da maratona, uma dor no quadril direito e diminuiu o ritmo. Acabou na oitava colocação, com 2h06m49s.

“Meu quadril direito estava realmente bloqueado e minhas pernas pareciam com cãibras nos últimos 15 km”, disse o desapontado Kipchoge, que não perdia uma maratona desde 2013 (em seu perfil no Instagram, ele escreveu que o ouvido tinha entupido) . “Só aconteceu durante a corrida. Eu estava me sentindo bem antes. Não posso culpar as condições, estava mais na minha cabeça.”

A prova, sem a participação do público, foi realizada em um percurso fechado ao redor do Parque St. James. Os corredores deram 19 voltas de 2,15km cada e mais 1.345 metros extras para a linha de chegada.

Mais de 45 mil corredores se inscreveram na Maratona de Londres virtual. Desse total, cerca de 28 mil completaram os 42km.

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1068 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*