Revezamento Volta à Ilha: equipe catarinense é campeã

Equipe Monstro F3 comemora o título de campeã geral do Revezamento Volta à Ilha. (Foco Radical/Divulgação)
Equipe Monstro F3 comemora o título de campeã geral do Revezamento Volta à Ilha. (Foco Radical/Divulgação)

A equipe Monstro F3, de Tubarão (SC), conquistou, em 9h09m07s, a 25ª edição do Revezamento Volta à Ilha, em Florianópolis, no último sábado (9). Mais de 3,6 mil atletas de 400 equipes ou duplas percorreram os 19 trechos de um total de 140km, das variadas distâncias, terrenos e dificuldades entre praias e matas da capital catarinense. Na categoria feminina, a F3 Woman, também de Tubarão, completou o percurso em 11h21m59s. 

“Cada momento em que nos aproximávamos da prova ficava cada vez melhor para que a 25ª edição fosse tão marcante tanto para nós, da organização, quanto para os atletas. Por tudo que aconteceu desde 2020, certamente esta edição será inesquecível para todos nós”, afirma Carlos Roberto Duarte, realizador e diretor-geral do Revezamento Volta à Ilha, que correu um dos trechos do percurso, como tradicionalmente faz a cada edição. 

O próximo Revezamento Volta à Ilha será em 15 de abril de 2023. As equipes participantes da  25ª edição têm vaga garantida e, portanto, preferência para a inscrição. 

Revezamento Volta à Ilha teve largada às 4h15m

Ainda era noite quando os primeiros atletas iniciaram o percurso de 140km ao redor da Ilha de Santa Catarina. Às 4h15m começaram as largadas no Trapiche da Beira-Mar Norte. Enquanto aconteciam a cada 15 minutos, conforme categoria, o amanhecer de sábado deu os primeiros sinais de um dia lindo em Florianópolis. Assim largaram as equipes da categoria Aberta Elite, às 7h30m. 

Com praticamente um terço de prova, já na praia de Jurerê, ao completar 6 dos 19 trechos, a equipe Monstro F3, de Tubarão (SC), tinha a dianteira com boa vantagem para as demais da categoria. Por volta das 11h, as equipes que disputavam os troféus (duplas, aberta e veteranas) se depararam com um dos momentos mais críticos do percurso: trilhas enlameadas e as praias do Norte da Ilha ao sentido sul. Ainda que as chuvas nos dias que antecederam o Volta à Ilha tenham contribuído para deixar a areia menos fofa, o terreno pesado e o sol exigiram um pouco mais de todos os atletas que encararam os trechos até a Praia dos Açores. 

Equipe Mostro F3 vence de ponta a ponta

Neste posto de troca, o fim do trecho 15, a liderança na categoria elite continuava com a equipe de Tubarão (SC), com larga vantagem para a Istepôs, de Florianópolis. Era o começo da tarde e restavam quase 38 quilômetros – e o Morro do Sertão, o trecho mais difícil – quando o clima de expectativa tomou conta da arena de chegada, na Beira-Mar Norte. Às 16h21m, a primeira equipe cruzou a linha. Formado por atletas de Paraná, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, a Amigos do Freire Jovens, que largou às 6h15m na categoria Aberta Mista, abriu as comemorações após 9h54m09s de prova.  

“A gente veio na frente do percurso e no finalzinho soubemos que havia uma equipe correndo próxima. Então, fizemos um esforço para aumentar a vantagem e chegar na frente”, conta o atleta Caio Lima, que participou do revezamento como atleta pela primeira vez. “Um dos melhores revezamentos que já participei, muito bom em organização. É uma experiência que vou recomendar para todos os atletas”, disse, instantes depois de concluir a prova. 

Campeões já tiveram vitórias e frustrações em outras edições

Depois da chegada de outras equipes da categoria Aberta Mista, o Revezamento Volta à Ilha 2022 conheceu seus campeões. A Monstro F3 celebrou bastante a conquista de ponta a ponta para ficar com o troféu máximo da corrida. E ainda esperou por algum tempo a chegada da equipe feminina F3 Woman, também de Tubarão para, juntos, comemorarem suas conquistas. 

“Tivemos algumas vitórias e outras frustrações em edições anteriores. Para esta, planejamos duas equipes, uma na Elite e outra na Aberta Feminina, para nos esforçar um pouco mais e tentar alcançar o título nas duas categorias. Ficamos satisfeitos e felizes, não só por causa do desempenho, mas também porque somos amigos e fazemos um esforço para estar aqui, somos amantes do esporte”, contou Felipe Costa da Silva, atleta campeão pela Elite e treinador das atletas que venceram no feminino. (Iúri Totti)

Resultados Revezamento Volta à Ilha 2022

  • Campeão geral: Monstro F3 – Tubarão (SC) – 9h09m07s
  • 1° lugar Cat. Aberta Elite – Istepô – Florianópolis (SC) – 10h50m32s
  • 1° lugar Cat. Aberta Mista – Amigos do Freire Jovens – PR, RS e RJ – 9h54m09s
  • 1° lugar Cat. Feminina – F3 Woman – Tubarão (SC) – 11h21m59s
  • 1° lugar Cat. Veterana 40 – Amigos do Freire Cascudos – PR, RS e RJ – 9h57m58s
  • 1° lugar Cat. Veterana 50 – Os Velhotes 50 – São Paulo (SC) – 10h30m07s
  • 1° lugar Cat. Veterana 60 – Chão do Aterro – Rio de Janeiro (RJ) – 13h07m50s
  • 1° lugar Cat. Veterana Mista – Assessocor Veterana – São José dos Pinhais (PR) – 10h30m07s
  • 1° lugar Cat. Dupla Masculina – Equipe Atletismo Lages – Lages (SC) – 11h48m03s
  • 1° lugar Cat. Dupla Mista – AABB/Morone – São Paulo (SP) – 14h57m47s

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1216 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."