Wendell e Maria Lucineida são campeões de cross country

Wendell e Maria Lucineida comemoram sua vitórias nos 10km do Pan e Sul-Americano de Cross Country. (Divulgação)
Wendell e Maria Lucineida comemoram sua vitórias nos 10km do Pan e Sul-Americano de Cross Country. (Divulgação)

Os brasileiros Wendell Jerônimo Souza e Maria Lucineida Moreira são os campeões pan-americanos e sul-americanos de cross country de 2022, disputados no último domingo (27/3), em Serra (ES). Wendell venceu a prova de 10km que valia para os dois campeonatos, com 31m46s. Já Maria Lucineida da Silva Moreira ganhou os 10km feminino com 36m21s. A disputa aconteceu num percurso de 2km montado no Condomínio Alphaville Jacuhy, sob sol forte, temperatura de 30 graus e umidade relativa do ar em 87%.

O vice-campeão pan-americano foi o canadense Thomas Fafard, com 32m03s, seguido do peruano Rene Champi, que terminou em terceiro no Pan e segundo no Sul-Americano, com 32m07s. O brasileiro Marciel Miranda de Almeida Silva, com 32m17s, foi quarto no Pan, mas ficou com a medalha de bronze no Sul-Americano. No feminino, Núbia de Oliveira Silva ficou em segundo, com 36m48s, e Simone Ponte Ferraz em terceiro, com 36m51s. As brasileiras também foram as medalhistas do sul-americano, na mesma posição.

Brasil é campeão por equipes

O Brasil levou o título de campeão por equipe masculino (21 pontos), com o Canadá em segundo (24), seguido por Peru (39) e México (67).  No feminino, o Brasil também foi campeão por equipe com 10 pontos, seguido do Canadá, com 30 – apenas as seleções com mais de quatro atletas na prova puderam pontuar por equipe. Pelo regulamento do Pan-Americano de Cross vence a equipe com menor pontuação.

“Eu nunca tinha feito esse tipo de prova e tive a oportunidade de experimentar. Tudo começou na etapa regional, lá em Bonito (MS), depois vim para a Copa Brasil e fui campeão e agora ganhei um campeonato internacional. Superei todas as minhas dificuldades e hoje tenho um resultado para o Brasil, Mato Grosso e minha cidade Pontes e Lacerda”, disse Wendell.

“Eu nem acredito ainda que sou campeã sul-americana e pan-americana adulta, que consegui chegar”, disse Maria Lucineida.

Vencedores das outras distâncias

Nos 8km sub-20, o brasileiro Jânio Marcos Varjão, do Mato Grosso, foi o campeão pan-americano e sul-americano (26m19s). Pela disputa pan-americana Mark Sanchez, do México, ficou em segundo (26m40s) e Rudy Saal, do Canadá, em terceiro (26m41s). Na disputa sul-americana, Jhoseph Nunez, do Peru, foi segundo (28m15s) e Diego Caldeira, da Venezuela, o terceiro (28m25s). O Canadá foi campeão sub-20 (20 pontos).

Nos 6Km sub-20 feminino do Pan-Americano, venceu a mexicana Sabrina Garcia (22m36s). A brasileira Gabriela Tardivo foi segunda pan-americana, mas ficou com o título sul-americano, com o tempo de 23m05s. Aylana Ferreira Cezar foi ao pódio do Pan como terceira colocada, mas como vice-campeã sul-americana. Veronica Huacasi, do Peru, levou o bronze (23m28s).

Vanderlei Cordeiro de Lima e Ronaldo da Costa correm com o público

Na categoria sub-18 as disputas foram apenas pelo Sul-Americano e com brasileiros. A vitória, no masculino, nos 6km, foi de Pedro Henrique da Luz de Freitas (22m07s), com Railton de Oliveira Ramos em segundo (22m13s) e o indígena Manuel Tsiwario em terceiro (22m17s). Nos 4km, as gêmeas Helena e Ana Mees Valério repetiram suas posições da Copa Brasil de Cross. Helena ganhou a medalha de ouro (16m46s) e Ana, a de prata (16m49s). Marcella Marinelli conquistou o bronze (17m12s).

O medalhista olímpico Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004, e Ronaldo da Costa, que foi recordista mundial ao vencer a Maratona de Berlin-1998, correram os 4 km juntamente com atletas amadores que participaram do evento. Ambos integram o programa Ídolos do Atletismo Loterias Caixa da CBAt e encantaram o público no evento.

“O importante foi a participação, tanto minha quanto do Ronaldo, para valorizar o evento. Fazia muitos anos que não corria um cross e reviver isso ao lado do Ronaldo correndo com pessoas comuns é incrível”, disse Vanderlei. Ronaldo, sempre brincalhão, disse que estava “um calor danado, que está com pouca resistência e dor na coxa”. “Mas aqui tem um cara exemplo. Ele me puxou até o final, me ajudou. Corremos por qualidade de vida e para incentivar as pessoas.”

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1216 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."