Maratonistas do Brasil entram na reta final para os Jogos

Os três maratonistas do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. (Fotos de Wagner Carmo:CBAt:Divulgação)
Os três maratonistas do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio. (Fotos de Wagner Carmo:CBAt:Divulgação)

Daniel Chaves, Daniel Ferreira do Nascimento e Paulo Roberto de Almeida Paula, os maratonistas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, estão treinando no exterior na preparação final para a prova marcada o dia 7 de agosto (19h no horário de Brasília), num circuito a ser montado no Sapporo Odori Park, em Sapporo, Hokkaido, a 800 km de Tóquio.

Com camping bancado com recursos exclusivos da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), os maratonistas do Brasil Daniel Ferreira do Nascimento e Daniel Chaves da Silva estão no Quênia, enquanto Paulo Roberto de Almeida Paula mantém sua preparação em Portugal, onde mora. Daniel Nascimento e Paulo Roberto recebem apoio de seus respectivos treinadores, Neto Gonçalves e Luís Fernando de Almeida Paula.

Maratonistas do Brasil treinam no Quênia e em Portugal

Os três maratonistas do Brasil têm algo em comum, além de disputar maratonas: nasceram no mês de julho. Paulo Roberto completa 42 anos – é o mais velho da equipe olímpica brasileira de atletismo – no dia 8. Já Daniel Chaves comemorará 33 anos no dia 10 e Daniel Nascimento fará 23 anos no dia 20.

Daniel Nascimento (ABDA-SP) está em Kaptagat, desde o dia 6 de junho. Ele viajou logo depois de vencer a Maratona de Lima e obter a qualificação olímpica no dia 23 de maio, com 2h09m04s. Antes de viajar para o Quênia, o atleta ainda ganhou a medalha de ouro nos 10.000m do Campeonato Sul-Americano de Guayaquil, no Equador, com 29m18s06, no dia 29 de maio.

“O Daniel segue um programa específico de treinamento, aproveitando a altitude de mais de 2.300m em relação ao nível do mar”, disse o técnico Neto Gonçalves, que orienta normalmente o atleta em Bauru (SP). “Ele está treinando bem, rodando bastante e tem feito trabalho de peso.”

Daniel, segundo o treinador, divide um alojamento com atletas sul-coreanos ou naturalizados sul-coreanos. Neto embarca na madrugada de domingo (4/7) para acompanhar a preparação final do atleta, que viajou com passagens pagas por um patrocinador. A CBAt custeará as despesas de Neto Gonçalves e compensará o valor pago pelo patrocinador nas diárias que receberão para o pagamento do alojamento, de alimentação e outros compromissos.

Daniel Chaves na Casa dos Campeões

Já Daniel Chaves, que estava treinando numa área rural de Brasília (DF), viajou na terça-feira (29/6) para Iten, cidade conhecida como “A Casa dos Campeões”, em referência à expressiva predominância dos quenianos nas corridas de rua em todo o mundo. A princípio, Chaves segue no dia 26 de julho para Sapporo, onde será disputada a prova.

“Disputar a maratona olímpica será a realização de um grande sonho e treinar em Iten é muito importante. É a grande meca dos fundistas do Quênia. O Paul Tergat (recordista mundial de maratona, com 2h04m55s, em Berlim, em 2003, duas vezes medalhas de prata nos 10.000m em Olimpíadas e Mundiais e pentacampeão da Corrida de São Silvestre), que era daqui, é uma grande referência. Vou ver como eles treinam, participar da preparação deles”, comentou animado o atleta do Pinheiros (SP).

A última maratona que Daniel Chaves disputou foi a de Londres, em 2019, quando obteve o índice olímpico ao completar os 42.195m em 2h11m10s. “Ia para Valência, na Espanha, em 2020, mas me lesionei. Este ano pensei em competir na Alemanha, recebi até o convite dos organizadores, mas acabou não acontecendo por causa da pandemia.”

Pandemia atrapalha planos de treino de Paulo Roberto

Já Paulo Roberto de Almeida Paula, com duas participações em Olimpíadas, em Londres-2012 e Rio-2016, optou por treinar em Perafita, que fica a 6 km da cidade do Porto, em Portugal. “A intenção era ir para a China, mas tinha quarentena, o que inviabilizaria a preparação. Resolvemos ficar em Portugal”, lembrou o treinador Luís Fernando, irmão gêmeo de Paulo.

“É muito bacana treinar aqui. Eu dito o ritmo dele no treino. Portugal tem muitas corridas e é um dos melhores locais para treinar. E ele é muito valorizado aqui”, comentou o treinador. “Estou dando o apoio mental e ficando perto. Ele está bem.” A ida de Luís Fernando a Portugal também é uma ação CBAt, que está custeando passagem, estadia e alimentação para a preparação de Paulo Roberto, que tem entre os seus melhores resultados o sétimo lugar no Mundial de Moscou, em 2013, e o oitavo na Maratona de Londres-2012.

“Fizemos um esforço para bancar o orçamento para a preparação dos maratonistas do Brasil. Estamos na torcida para que todos eles cheguem bem a Sapporo e façam boas provas”, comentou o diretor executivo Claudio Castilho, que será o chefe da equipe de atletismo em Tóquio.

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1126 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."