Covid-19: O impacto da pandemia na prática esportiva

Estudo mostra os efeitos da pratica esportiva durante a pandemia da Covid-19. (Divulgação)
Estudo mostra os efeitos da pratica esportiva durante a pandemia da Covid-19. (Divulgação)

Um estudo exclusivo da Asics, conduzido pelo Grupo Croma, procurou entender o impacto da pandemia da Covid-19 nas práticas esportivas e a intenção de realizar atividades físicas no pós-pandemia. A pesquisa foi realizada com base na opinião de sete profissionais do esporte e de entrevistas online com 812 pessoas de todo o Brasil, sendo 51% mulheres e 49% homens.

É praticamente unânime (97%) o entendimento que esportes e atividades físicas são fundamentais para a saúde do corpo e da mente durante a pandemia da Covid-19. Para os profissionais, ela levou as pessoas a entenderem a relevância que a prática esportiva tem na saúde mental e física.

“Essa pesquisa é muito importante para a Asics, pois mostra com clareza como a pandemia da Covid-19 atingiu os que praticam atividades esportivas. Para a marca, um corpo são é fundamental para se ter uma mente sã. E esses resultados mostram que as pessoas estão prestando atenção para este ponto”, afirma Constanza Novillo, diretora de marketing da Asics América Latina.

Caminhada e corrida são as atividades mais praticadas

Caminhadas e corridas ao ar livre são as atividades mais praticadas atualmente (57%), principalmente entre homens (41%) e os mais velhos (61% com 55 anos ou mais, entre homens e mulheres). Já entre os mais jovens, a musculação em casa apresentou maior incidência, atingindo 21% das pessoas entre os 18 e 24 anos.

Manter a saúde mental é o principal motivo apontado para a prática de atividades físicas (66%), mas atrelado também à necessidade de prevenir doenças ou com perda de peso, ambos com 57% das respostas.

“As pessoas passaram por um processo interessante de reflexão do quanto o esporte é importante em suas vidas. Ao longo de tantos anos trabalhando com amadores, agora se vê o quanto as pessoas absorveram no seu estilo de vida o esporte como uma ferramenta de construção da sua saúde”, diz o treinador Claudio Castilho, um dos profissionais que participaram da pesquisa.

No ano passado, 40% das pessoas acabaram diminuindo as atividades físicas. Mas isto mudou em 2021, com destaque para o público feminino, que aumentou em 47% essa frequência e dos moradores do Norte do país, que cresceram em 51% o ritmo de exercícios, considerando homens e mulheres da região.

Maioria dos entrevistados quer retomar atividades após a pandemia da Covid-19

A intenção da maioria das pessoas que já faz algum esporte é intensificar essas práticas após a pandemia da Covid-19 (63%), principalmente entre os mais jovens (70% entre os 18 e 24 anos). As corridas de rua são vistas como oportunidades para essa retomada, contanto que todos estejam vacinados.

Já entre quem não pratica atividades físicas atualmente, 45% deixaram de fazer esportes por causa da pandemia. As pessoas com idade entre 35 e 44 anos (71%) e do Nordeste (73%) são as que se mostram mais dispostas a praticar algo para melhorar sua saúde mental no pós-pandemia.

A pesquisa também procurou entender o conhecimento sobre as corridas e desafios virtuais, formato que cresceu durante a pandemia. Entre os profissionais, mudar a rotina e reinventar os treinos foi um desafio e as corridas virtuais foram uma ótima solução para manter o dia a dia com atividades, integrar pessoas e diminuir a ansiedade. Entre o público em geral, poucos sabem das corridas virtuais, mas consideram a iniciativa boa ou ótima (67%). Dos que conhecem, 80% concordam que estimula e gera motivação.

COMPARTILHE
Sobre Iúri Totti 1136 Artigos
Iúri Totti é jornalista, com mais de 30 anos de experiência na grande imprensa, principalmente na área de esportes. Foi o criador das sessões “Pulso” e “Radicais” no jornal O Globo. Tem 13 maratonas, mais de 50 meias maratonas e dezenas de provas em distâncias menores. "Não me importo em ser rápido. A corrida só precisa fazer sentido, dar prazer."